Amêndoas confeitadas para o Ano Novo (século XIX)

E se eu te disser que as castanhas (as famosas "nuts") que você encontra o ano inteiro nos shoppings tem a ver com tradições de Ano Novo?


No século XIX, mais que comer lentilha, uva e romã (ou não comer aves), o que trazia sorte e estava na moda para se comer e presentear alguém nas festividades de Ano Novo, ou de "Ano Bom", eram as amêndoas confeitadas! Vem conhecer essa história - e essa receita delícia - com a gente!





RECEITA, do 'Doceiro Nacional', de 1883:

Ponham-se em uma caçarola um quarto de litro d’água com 500 gramas de açúcar e 500 ditas de amêndoas descascadas, que se vão virando com uma espátula até começarem a estalar, e a destacarem-se do açúcar. Tira-se então metade da calca e continua-se a cozinhar as amêndoas até que o açúcar comece a ligar-se de novo a elas; evitando-se com muito cuidado que fervam muito vai-se pondo aos poucos a calda que se tirou, até que esteja tudo tirado às amêndoas. Deitam-se em uma peneira para as fazer esfriar e antes de completamente frias separam-se as que estiverem ligadas uma às outras. Pode-se variar de muitas maneiras o sabor das amêndoas. Para fazê-las de rosas, ajuntam-se à água, que deve prepará-las 30 gramas de água destilada de rosas e 8 a 10 de carmim líquido. Para as de baunilha, ferve-se na calda uma fava de baunilha até dar o gosto desta. Para as de hortelã-pimenta, junta-se água de hortelã-pimenta. Para as de canela, ferve-se a canela na calda até dar-lhe o gosto, e assim se fazem todas as outras.


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo